quarta-feira, 11 de abril de 2012

No seu talento

Foto divulgação
A maioria das pessoas leva a vida sem gostar do que faz. Apenas toca a vida esperando pelo fim de semana. Isso poderia ser diferente caso se conectassem com o seu “talento”: aquilo que ela faz bem e que gosta do que faz. Pode ser qualquer coisa como tocar violão, construir móveis ou ensinar matemática. A desconexão com o nosso talento tem muito a ver com um sistema educacional que, ao invés de incentivar a criatividade, mostra-se obcecado com as habilidades acadêmicas e em levar os alunos para a faculdade. Nem todo mundo precisa de diploma universitário para se realizar na vida. Sei de um rapaz que é bombeiro e ele dizia, desde criança, que queria ser bombeiro. Certamente não encontrou muito apoio dos adultos que o cercavam. Ele ouvia de um professor que iria desperdiçar seu talento. Mais tarde, ele salvou a vida deste professor. As comunidades dependem da diversidade de talentos e não, apenas, de pessoas com diploma universitário, desconectadas da sua vocação e envolvidas com um trabalho do qual querem se ver livre. (Júlio Machado)