quarta-feira, 4 de julho de 2012

O presente no fim do túnel



Era um dia daqueles em que eu passava o tempo todo sem ver o céu. Nunca imaginaria que no local considerado, pelos espiritualistas, o mais “carregado” do Brasil, eu a conheceria. O Congresso Nacional tem restaurantes, farmácia, lanchonetes, até salão de beleza, ou seja, quase tudo que se torna necessário para passar o dia sem precisar sair do ambiente de trabalho. Toda esta praticidade faz com que muitos dias acabem sem cor. E foi num desses dias sem céu que ela apareceu como uma grande surpresa. Eu passava pelo túnel da Câmara dos Deputados, a caminho do Salão Verde. A exposição dos Mantos do Círio de Nossa Senhora de Nazaré atraia minha atenção. Uma benção! De repente, quando retomei o meu percurso, um ser de luz sorriu para mim. Doce, pura e verdadeira, passou como um raio de luz. Mais tarde, nossos caminhos se cruzaram novamente. Fui descobrindo o encanto de um ser sensacional. Quando percebi já estávamos a caminho da primeira das infinitas viagens pelas vielas da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário